Observando as ruas do centro de Salvador: o transeunte do século XXI

OFICINA 15 – Observando as ruas do centro de Salvador: o transeunte do século XXI
Responsáveis: Urpi Montoya Uriarte e Milton Júlio Filho – Panoramas Urbanos – UFBA

RESUMO:
A cidade é um conceito com o qual pretendemos designar uma realidade bastante ampla e complexa, por isso, apreender a cidade é uma tarefa bastante difícil. Entenderemos por cidade tanto o conjunto material necessário para a sobrevivência de uma aglomeração humana majoritariamente não-agrícola, quanto o conjunto de experiências próprias do ambiente criado por esse conjunto material. É esse conjunto de experiências que aqui nos interessam, em particular, a experiência da rua que é a experiência da mobilidade (Mongin, 2009). A mobilidade urbana possibilitada pelas ruas e o caráter finito do espaço urbano teria um caráter libertador: o entrar e o sair constitui, para este autor, uma experiência que liberta os corpos e ensina a liberdade. Se a vida urbana tem 8.000 anos, em 7.900 deles a experiência da mobilidade foi uma experiência de andar. Não só andar para, mas simplesmente andar pelo prazer de se deslocar. A partir do desenvolvimento da cidad
e industrial, no século XIX, as pessoas, as coisas e o capital tiveram de circular: da fábrica para os postos de venda, do porto para os armazéns, das lojas para as casas, das pessoas para os seus lugares de trabalho, para os espaços de compra, para os lugares de lazer, etc. Assim, a cidade industrial impôs um outro ritmo, um outro fim e um outro meio de mobilidade. Como se configura o uso da cidade para o pedestre nesse contexto? Propomos algumas hipóteses: mais do que andar, sentar-se (parques, praias, praças = bancas, bares, barracas); mais do que sentir ou cheirar, ver; mais do que experimentar, circular; mais do que usar a cidade, consumir nela. A Oficina “Observando as ruas do centro de Salvador: o transeunte do século XXI” se propõe testar estas hipóteses mediante o método etnográfico próprio da Antropologia.

Duração/horários: Dia 23/04, de 8h às 12h: trabalho de campo nas ruas do centro de Salvador.
Dia 24/04, de 8h às 12h: sistematização da experiência de campo.
Local e condições: Ruas do centro de salvador (cada aluno deverá levar sua máquina fotográfica).

VAGAS: 10

2 respostas em “Observando as ruas do centro de Salvador: o transeunte do século XXI

  1. Como faço para me inscrever?

    De acordo com a informação abaixo tem um período para inscrição, mas como ela será feita? Tem algum custo?

    de 5 de março a 15 de abril
    Inscrição nas oficinas e seminário de articulação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s