Culturas e Resistências na Cidade

OFICINA 12 – Culturas e Resistências na Cidade
Responsável: Ronaldo de Moraes Brilhante – grupo Culturas e Resistências na Cidade – PROURB – FAU/UFRJ

RESUMO:
Qual o papel da ação dialógica para a formação de um renovado modo de conhecimento-e-ação sobre o mundo? Qual o papel do professor-pesquisador na composição de campos de relação entre eventos locais e não-locais? Muito mais do que exemplos de motes próprios de um pensador em determinado tempo, essas são questões que povoam as razões de Paulo Freire, e que podem revelar modos diversos de conhecimento-e-ação sobre o espaço urbano.

Para esta oficina propõe-se uma re-significação daquilo que Freire denominava ‘circulos de cultura’ em seu método. O objetivo é avaliar a validade de suas prerrogativas para a prática do ensino do urbanismo.

A investigação é centrada em entrevistas filmadas nas quais são reveladas questões que são aprofundadas com as relações/diálogos que os pesquisadores devem estabelecer, num trabalho de mediação entre campos diversos. O tema de investigação proposto parte daquilo que em entrevistas anteriores foi reconhecido como significativo na relação de crianças, adultos e idosos com seus meios: a transformação dos lugares onde se dão os laços afetivos.

A oficina deverá ser organizada em três momentos: 1º_ a perspectiva da pesquisa é apresentada; 2º_ os participantes são organizados em grupos que deverão entrevistar (fotografando e/ou filmando) moradores (e também ex) do Centro Histórico de Salvador, buscando documentar as suas apreensões acerca da transformação daquele espaço, e, também, suas considerações em relação às histórias apresentadas pelos moradores (em filmes de entrevistas já realizadas) afetados pelas obras de construção da Trans-oeste na Cidade do Rio de Janeiro; 3º_ os trabalhos são finalizados com a produção de um documento conjunto, que deverá expor as potencialidades e limites da prática em experimento.

Duração/horários: Manhãs e tardes dos dias 23 e 24/04:
manhã do 23 [momento 1]- apresentação e encaminhamento para a oficina;
manhã/tarde do 23 [momento 2]- entrevistas de campo da oficina;
manhã/tarde do 24 [momento 3] – avaliação e produção de documento
Local e condições : Centro Histórico de Salvador e/ou demais áreas em processo de renovação urbana. Levar, se possível, 04 gravadores de áudio, 04 câmeras de fotografar e/ou filmar, 04 computadores portáteis (facultativo).

VAGAS: 12 (quatro grupos com três integrantes)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s